11.26.2006

Sem amor .... sem vida

Amor , explosão vulcanica

Impregnando o ar de calor

Sem amor , vida sem valor

Uma toada mecanica


Amor , cinzas com pegadas

Cheios de simbolos romanticos

Sem amor , seres automaticos

Sinfonia de notas cacofonicas


Amor , fulgores pirotecnicos

Desenhos fractais universais

Sem amor , linhas casuais

Paralelas sem fim , sem encontros


Amor , lavas incandescentes

Queimando corações apaixonados

Sem amor , universos incognitos

Odios e brilhos remanescentes


Amor , torrões de terra derretendo

Gritos e brados de alegrias

Sem amor , visões em ruinas

Silencio em um eterno decrescendo


Amor , canticos do amado bardo

Espetaculo de imensas coreografias

Sem amor , canções sem harmonias

D´alma em um recanto isolado


Amor , vidas em passos ritmados

D´essencias em revoadas

Sem amor , vidas vencidas

De vazios existencias e acabados


Amor , eterno reviver de memorias

Aspergidos por faíscas alvoroçadas

Sem amor , brasas apagadas

De báus cheios de passadas alegorias

Amor , de poetas e escritores

Enlevados por poeiras esvoaçantes

Sem amor ,seres sem setas alinhantes

Da vida nada levam a não ser amargores.

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home